sexta-feira, 30 de setembro de 2011

BARRAGEM DE AMARÓPOLIS

No ano de 1971 teve início a construção da Barragem de Amarópolis, localizada no PK 74 do rio Jacui, entre os municípios de General Câmara e Butiá. As obras desenrolaram-se durante o período de três anos, tendo sido concluídas em dezembro de 1974.

A Barragem de Amarópolis, embora tendo sido a terceira obra implantada na Hidrovia do Jacui, se constituía, efetivamente, no primeiro degrau a ser transposto pelas embarcações que se dirigissem de jusante para montante a partir de Porto Alegre ou do Rio Taquari, em direção às instalações de atracação existentes ao longo do Jacui, principalmente nos municípios de Rio Pardo (onde foi implantado um porto na década de 40) e Cachoeira do Sul.
Amarópolis encontra-se localizada a 74 km de Porto Alegre. Juntamente com as barragens eclusadas do Anel de Dom Marco – no município de Rio Pardo, e Fandango – em Cachoeira do Sul, propiciam um estirão navegável de aproximadamente 300 km ao longo do rio Jacuí, permitindo, em qualquer época do ano, a navegação até os portos de Estrela – no rio Taquari, Rio Grande – porto marítimo na extremidade sul da Lagoa dos Patos, e Santa Vitória do Palmar, no extremo sul do estado e do país, proporcionando cerca de 880 km de vias navegáveis interiores no Rio Grande do Sul.

 O barramento é constituído de dois passos navegáveis onde foram implantadas um total de 84 alças (aproximadamente 3 t cada uma) tipo Aubert, sendo 42 em cada vão, todas com 2,00 m de largura por 6,32 m de altura, respaldadas na cota 5,50 m, proporcionando um desnível de 4,50 m; visando sua manobra, foi construída uma ponte metálica, com 720 toneladas de peso total, sobre a qual foram instalados dois carros de manobra destinados à movimentação das alças.

                                                                                      Junto à barragem, em sua margem esquerda, foi construída uma eclusa com dimensões, em planta, idênticas às da Barragem do Anel de Dom Marco, ou seja, 120 m x 17 m, sendo o enchimento da câmara efetuado através de aquedutos alimentados por comportas tipo vagão.
À montante da eclusa foi implantado um muro guia com 50 m de comprimento, enquanto que a jusante foi construído um cais de atracação com 64 m de comprimento.
Na margem direita, junto ao pilar, foi construída uma escada de peixes que serve para migração dos mesmos na época da piracema que normalmente ocorre de dezembro de um ano até março do ano subseqüente.
Fazendo parte do conjunto barragem-eclusa, foi construído um dique de terra na margem direita, com extensão de 1.900 m, estando a jusante protegido com enrocamento tipo tout-venant.
Para movimentar os equipamentos da eclusa, foi construída, na margem esquerda, uma Casa de Comando, com seu piso na cota 14,60 m.
Em torre independente localizada na margem esquerda, estão instalados dois transformadores de 160 KVA e um grupo gerador de emergência, diesel-elétrico, com 160 KVA, destinado a operar em caso de falta de energia elétrica.
Nas imediações da barragem, o rio Jacuí apresenta a característica de possuir seu leito maior freqüentemente inundável, devido à pequena altura das suas barrancas.
Fonte:www.portoestrela.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário